25.11.08

Divorciados vão pagar mais impostos!

Atenção, quem paga pensão de alimentos vai deixar de poder deduzir a totalidade no IRS. O Governo prepara-se para impôr uma dedução de apenas 20% com o argumento da disparidade entre casados e separados. Esquecem-se é que os separados têm uma vida para recomeçar com todas as despesas que isso implica. Esquecem-se que das 200 mil famílias monoparentais, poucas recebem pensões altas, a maioria anda a contar os tostões. É inacreditável que agora queiram prejudicar quem contribui para os filhos! Melhor ainda, a pressão da Associação de Famílias Numerosas ganha assim força com a justificação de que feitas as contas, mais valia os casais divorciarem-se! Ridículo!

16.11.08

Audiência na Assembleia da República 2

Apesar de não termos as mil assinaturas necessárias na petição, a Comissão de Ética, Sociedade e Cultura decidiu ouvir os problemas das famílias monoparentais. Com documentos, estatísticas e com a petição,naturalmente, as deputadas do Partido Socialista que integram a comissão decidiram ouvir-nos. Dos outros partidos ninguém compareceu. Importante também foi a presença da Presidente da Sub-comissão para a Igualdade de Oportunidades e Família, Mª do Rosário Carneiro. Ou seja, a MONO foi ouvida apesar de ainda não ser uma organização formada. Discutimos a vulnerabilidade das famílias monoparentais, a responsabilidade parental em caso de separação ou divórcio, a economia familiar e as suas dificuldades, a necessidade de acompanhar estas famílias. O alerta está dado, até porque haverá um relatório sobre esta audiência que será dado a conhecer aos outros elementos da Comissão de Ética, Sociedade e Cultura. Pessoalmente, penso que a MONO deve agora organizar-se, reunir pessoas e avançar. Esta semana ainda vou contactar as famílias monoparentais que me escreveram para o email. Peço-vos que saiam do anonimato e escrevam também. Havemos de arranjar tempo para nos encontrarmos.