28.12.07

Números e promessas

Aumentou consideravelmente o número de visitas aqui no MONO! Vamos lá ver quando terei pachorra para ver os papéis de criação da associação. Sei que não falo para o vazio pelo contador de visitantes mas gostava mesmo de ter umas respostas, uns comentários, feedback... Esta será a última mensagem do ano, cheia de optimismo e alegria mesmo em tempos difíceis. Algures há pessoas a reconstituirem as famílias, a ter mais uma criança, a abraçar os filhos, a namorar, a aproveitar os dias de sol depois do Natal. Outras saem de relações tóxicas, divorciam-se, partem para uma segunda ou terceira oportunidade, repartem os cuidados com os filhos e sorriem depois do stress natalício. Apagam os pontos negativos para avançar no sentido de um ano em branco, novinho á estreia. Pensem nisto e prometam só uma coisa, mesmo que vos pareça complicada: "Eu vou continuar a ser feliz!"

10.12.07

Conselhos para poupar

É muito importante saber gerir as contas numa família monoparental. Vamos lá por temas, ver como reduzir a factura: - no supermercado, ter atenção às promoções e não comprar tudo no mesmo sítio Do Lidl ao Minipreço, do Continente ao Pingo Doce, vale a pena ver bem o que se compra, ter cartões de desconto e levar sacos para não pagar mais - em casa, diminuir consumos de energia e água Desligar todos os aparelhos em standby, da televisão à box do cabo, do computador às luzes ligadas sem necessidade, optar por lâmpadas de baixo consumo e comunicar sempre as leituras; desligar o esquentador quando não for preciso e regular a pressão; desligar a água do duche enquanto se ensaboam; estudar bem quais os aquecimentos mais rentáveis (gás, óleo, etc) - telefones verificar se existem operadoras mais baratas e alterar os tarifários (atenção às promoções, umas boas, outras enganosas); realizar os telefonemas estritamente necessários e optar por telefones fixos; os sms e os emails substituem muitas mensagens e saem mais baratos - roupas e calçado oferecer o que já não serve e procurar amigos e amigas com filhos com roupa para dar; deixar o casaco ou as calças mais caras para comprar nos saldos; optar por lojas mais em conta e esquecer as marcas ou adiá-las para a época de saldos; procurar lojas em segunda mão onde se podem encontar coisas boas e pouco usadas de 10 euros a 50 cêntimos!

3.12.07

Formação e reformação do casal

Formação do casal in Revista Máxima Aqui ficam alguns sinais que poderão revelar dificuldades na formação do par, segundo Mcgoldrick & Carter. Mas os mesmos não devem ser encarados como determinantes para um eventual insucesso da relação, há sempre excepções:
  1. O casal encontra-se ou casa pouco tempo depois de uma perda significativa para um dos seus elementos ou para ambos. Um ou ambos querem distanciar-se da família de origem Os backgrounds familiares de cada um são significativamente diferentes (educação, classe social, idade…)
  2. O casal tem fratrias incompatíveis em termos de composição e do seu posicionamento como casal
  3. Reside demasiado perto ou há enorme distância das famílias de origem
  4. O casal é financeira, física ou psicologicamente dependente das famílias de origem
  5. O par casa antes dos 20 ou depois dos 30 anos
  6. Casam-se depois de um conhecimento muito curto ou de um namoro muito longo
  7. O casamento decorre na ausência da família e dos amigos
  8. A mulher engravida antes ou durante os primeiros anos de casamento
  9. Cada um dos elementos do casal tem um relacionamento pobre com os pais e irmãos. Os padrões conjugais das famílias extensas são bastante instáveis – grande número de divórcios ou separações, afastamentos físicos

Fonte: Ciclo Vital da Família, de Ana Paula Relvas (Edições Afrontamento)