7.4.07

Ora bem, ora mal

Sem querer, andei anos a pensar nisto. Criar uma ponte onde todos os pais e mães monoparentais pudessem trocar ideias e apoiar-se. As famílias numerosas deram o primeiro passo e, com isso, conseguiram uma série de privilégios e notoriedade. Porque não, nós os monoparentais? Por falta de tempo, por estigma social? Oiço cada conversa sobre o divórcio, o fim-de-semana de 15 em 15 dias, a pensão, a falta de dinheiro, de tempo, de atenção. Lamúrias sobre lamúrias. Há pouca felicidade nestas conversas e muitos ressentimentos, é pena. Ninguém gosta de se separar dos filhos, dos amigos, dos familiares, é um facto. Mas todos temos o direito de ser felizes. Eu sou. E vocês, desse lado, digam qualquer coisa! (sem lamúrias, por favor)